Considerações Sobre o Laudo Ergonômico do Produto

Postado em 12 de Setembro de 2012

Um produto por si só não é ergonômico. A ergonomia é uma ciência muito mais complexa e abrangente do que somente o produto, em muitos casos, com apenas a vontade de resolver uma situação inadequada e com uma visão minimalista buscamos soluções prontas sem nos preocuparmos em construir uma solução completa.

A Ergomais fabrica móveis e produtos que visam atender aos itens da NR 17. Porém, se os produtos forem aplicados em locais onde ele não é indicado, passa a não ser ergonômico, pois somente um produto não tem essa capacidade. É de extrema importância contar com uma avaliação de um profissional capacitado antes de tomar qualquer decisão a respeito de aquisição de produtos ergonômicos.

Percebemos que em alguns casos está havendo um erro de interpretação com relação ao uso dos produtos, em especial ao uso do banco semissentado, que por sua vez não é cadeira e que em alguns casos está sendo usado como tal.

O banco só deve ser utilizado em posto de trabalho onde não seja possível utilizar cadeiras convencionais e se indicado por Ergonomista após estudos do ambiente de trabalho e das tarefas realizadas nele, caso contrário devera ser usado cadeiras, sob pena de estar em desacordo com as regras do ministério do trabalho.

Nossos produtos tem laudo ergonômico que atesta que o produto está em acordo aos itens da NR 17, porém, isso não garante que a sua aplicação e utilização estão sendo feita de maneira correta. Por isso, é fundamental que durante o processo de implantação e homologação das melhorias ergonômicas seja acompanhada por um profissional capacitado.

Alan Rosa – Ergonomista da Ergomais